postador Augusto JR _ um trecho do meu conto: poesias de raposa.



EU SOU UM POETA, LOUCO, PROCURANDO UMA RAPOSA PRA AMAR. SOU UM POETA E MAIS UM POUCO, DEVANEIO NAO E SO COISA DE LOUCO. AS VEZES SOU ANAFRODISIACO OU MESMO AFORDISIACO. AS VEZES ME DEVORO E TE DEVORO, USO PALAVRAS DE BAIXO ESCALAO COM ALTO TEOR DE COMPLEXIDADE, AS VEZES TRANSO COM LEXICO OU DERRAMO NA BARBARIE. POSSO ZER VEO, VERSO, INVERSO OU SIMPLESMENTE LASSO, DIGO LASSO, NAO LACO. PRESTE MUITA ATENCAO NO QUE DIGO OU VAI FICAR PERDIDO. A PERGUNTA, QUE A TUDO EDIFICOU, PODA UMA RAPOSA AMAR A UMA POETA? TAMBEM SE PERGUNTOU, PODE UM POETA AMAR A UMA RAPOSA? PRIMEIRO, EU DIGO, E PRECISO SABER O QUE E AMOR, E DE QUE AMOR SE TRATA. SE ATE MESMO UMA MAMAE LOBO PODE ADOTAR UM MENINO, ELA PODE TER POR ELE AMOR. MAS O AMOR AQUI CATIVO, E AINDA MAIS LASCIVO, TEMOS QUE NOS EXPLICAR. VOU, A ALGUM MOMENTO LHER MOSTRAR O QUE HA, POR DE BAIXO DA MASCARA DO POETA E DA RAPOSA QUE VAI AMAR.



Um comentário:

Hatinha disse...

nçao sei nem o que dizer a não ser q o amor não se explica ele simplesmente acontece

bju

docomeco-hata.blogspot.com

Term of Use

deixe seu comentário e o link do seu blog que eu te seguirei
no mais seja bem vindo a casa é sua